16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TUBERCULOSE LARÍNGEA COMO MANIFESTAÇÃO INICIAL DE TUBERCULOSE DISSEMINADA EM PACIENTE IMUNOCOMPETENTE

Fundamentação/Introdução

Tuberculose permanece como problema importante de saúde global, principalmente nos países em desenvolvimento, responsáveis pela maioria dos casos. Sua forma disseminada, é rara (1,3% dos casos de tuberculose), principalmente em imunocompetentes (menos de 2% dos casos), é um desafio diagnóstico devido a suas manifestações múltiplas e inespecíficas.

Objetivos

Relatar um caso infrequente de tuberculose disseminada em paciente imunocompetente com acometimento laríngeo de apresentação inicial atípica (disfagia).

Delineamento e Métodos

Mulher, 47 anos, previamente hígida, com história de disfagia orofaríngea há 5 meses da admissão, associada a disfonia progressiva há 3 meses, perda de 25 kg, febre diária e hiporexia. Ao exame físico, encontrava-se bastante emagrecida (IMC de 13) e com edema em membros inferiores. Realizada tomografia de região cervical e tórax, que evidenciou espessamento e heterogeneidade da prega ariepiglótica direita, nódulos pulmonares com padrão de ramificação de árvore em brotamento com consolidações em permeio, além de derrame pericárdico moderado. Solicitada baciloscopia, com positividade em 3+, e iniciado tratamento tuberculostático. Durante internamento, paciente evoluiu com dor abdominal persistente, sendo realizados ultrassonografia de abdômen (mostrou espessamento em região ileocecal) e colonoscopia, que identificou úlceras disseminadas com grave acometimento ileocecal, cuja biópsia mostrou colite crônica, granulomatosa, ulcerada, com atividade inflamatória.

Resultados

Por recuperação insatisfatória do quadro de disfagia, realizadas endoscopia digestiva alta (sem achados significativos) e ressonância de encéfalo, que evidenciou duas lesões nodulares cortiço-subcorticais no lobo frontal à esquerda, exibindo sinal do halo concêntrico, sugestivas de tuberculoma. Foram realizados anti-HIV e dosagem de carga viral, ambos negativos. Durante todo o internamento, permaneceu com linfopenia (CD4 de 125 e CD8 de 91). Seguiu em acompanhamento ambulatorial, com programação de 12 meses de tratamento. Após 6 meses de tratamento, evoluiu com normalização dos linfócitos, melhora da qualidade vocal e ganho de 8,4 kg.

Conclusões/Considerações Finais

Um alto nível de suspeição é necessário para diagnosticar tuberculose disseminada, principalmente em pacientes sem outros fatores de risco.

Palavras Chave

Doente imunocompetente; Tuberculose disseminada; Tuberculose laríngea;

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital das Clínicas - UFPE - Pernambuco - Brasil

Autores

MURILO PEREIRA ALVES JUNIOR, DOMINGOS SAVIO DO REGO LINS JUNIOR, ALICE MARCELLE DE SOUZA FERRAZ, CLÉZIO CORDEIRO DE SÁ LEITÃO, CHRISTYANNE MARIA RODRIGUES BARRETO DE ASSIS