16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SÍNDROME DE BEHÇET EM PACIENTE PORTADOR DE TUBERCULOSE PULMONAR: UM RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

A doença de Behçet (DB) é uma vasculite multissistêmica caracterizada pela tríade: estomatite aftosa, ulceração genital e uveíte recidivante. Sabe-se que ela acomete múltiplos sistemas, incluindo envolvimento mucocutâneo, neurológico, cardiovascular e respiratório1. Embora a BD ocorra mundialmente, é mais prevalente na “Rota da Seda”2 e seu diagnóstico é baseado em sua sintomatologia2. A origem não é clara, mas acredita-se que a genética tenha um papel importante3, pois inclui fenômenos autoimune e inflamatório1

Objetivos

Elucidar a prevalência, os sinais clínicos e o manejo da doença de Behçet.

Delineamento e Métodos

AMV, 39 anos, masculino, em tratamento para tuberculose pulmonar há 4 meses em tratamento padrão regular, BAAR + ao diagnóstico, internado e hospital público para investigação de quadro de: febre; tosse produtiva; febre; úlceras orais, em bolsa escrotal, nádegas e virilhas, com bordas bem definidas, circulares, dolorosas e de surgimento simultâneo; apresenta trombose hemorroidária na internação. Histórico de trombose venosa profunda em MIE há 2 anos, lesões acneiformes e foliculites recorrentes e transtorno de ansiedade. À TC de tórax: lesão cavitária espessa no lobo inferior do pulmão esquerdo, com melhora radiológica e de sintomas respiratórios após início de anfotericina B. Na investigação: sorologias para HIV, CMV, EBV, VDRL, HBV, HCV, histoplasma, criptococos, toxoplasmose, Barthonella hanseale negativas. Pesquisa de BAAR e TRM-BK negativa. RT-PCR COVID-19 não detectável. Hemoculturas estendidas para fungos negativas. Manutenção da clínica apesar de uso de ceftriaxone, doxiciclina e anfotericina B, sugerindo origem imunomediada. Dosagem de complemento e FR negativos; presença fraca de anticoagulante lúpico; anticorpos anticardiolipina negativos; complemento total alto; anti-beta2 glicoproteína IgG e IgM negativos; p-ANCA e c-ANCA negativos. FAN padrão nuclear pontilhado fino denso. Fundo de olho sem alterações. Biópsia de linfonodo cervical: linfadenopatia dermatopática. Biópsia de úlcera escrotal: presença de material fibrino leucocitário e exuberante infiltrado inflamatório misto em base. Foram iniciados prednisona e colchicina, com regressão total das lesões, cessação da febre e melhora do quadro geral. Hipótese diagnóstica: Síndrome de Behçet e cavitação pulmonar tuberculosa com proliferação fúngica.

Resultados

.

Conclusões/Considerações Finais

O espectro de gravidade da Doença de Behçet é amplo3 e, devido à sua complexidade e o envolvimento multissistêmico, uma abordagem holística é necessária4

Palavras Chave

Doença de Behçet. Behçet. Síndrome de Behçet

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital Regional Doutor João Penido - Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG) - Minas Gerais - Brasil

Autores

ADALIZA FURTADO ARAUJO, LAURA MAGALHÃES REIFF, BRENO ALMEIDA SOUZA, MARIANA OLIVEIRA KASSIS, FRANCIELY MAYRA REIS CARMO