16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Síndrome Inflamatória Multissistêmica associada ao Covid-19 do Adulto em uma paciente jovem

Fundamentação/Introdução

Desde o início da disseminação de Covid-19, milhares de pessoas foram afetadas pela doença. Apesar da existência de diversos relatos de casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica associada ao Covid-19 em Crianças (MIS-C), poucos são encontrados em literatura sobre a afecção em adultos (MIS-A) até o momento.

Objetivos

Apresentar relato a respeito da MIS-A, síndrome inflamatória de alta relevância atual devido a gravidade da evolução da doença, discutindo a respeito do subdiagnóstico e efetividade de tratamento.

Delineamento e Métodos

Paciente T.E.M.M., feminina, 24 anos, apresenta história de infecção por Covid-19 com início dos sintomas no dia 08/03/2021 e teste PCR positivo no dia 09/03, evoluindo com doença leve e resolução espontânea. Em 10/04/2021 paciente evolui ao longo do período de 5 dias com: febre, rash maculopapular pruriginoso, mialgia, artralgia, dor abdominal, vômitos, hiperemia conjuntival e língua em framboesa. Realizada internação em 15/04 devido hipotensão, icterícia e taquicardia, sendo transferida para unidade de terapia intensiva. Nos exames iniciais, apresentava PCR 20mg/dL, Bilirrubina total de 5.89mg/dL às custas de direta, aumento de transaminases e Leucocitose com linfopenia. A princípio, aventada hipótese de sepse de foco abdominal, sendo excluída, e de Leptospirose pois paciente apresentava história de contato em trabalho com ratos e fezes de ratos, descartada após 2 sorologias negativas. Após melhora da instabilidade e paciente transferida para enfermaria, pensada na hipótese de MIS-A. Fechados os critérios diagnósticos, foi iniciado tratamento com Prednisona em dose imunossupressora, estando a paciente assintomática em 36 horas após, recebendo alta com desmame de corticoide pouco tempo após.

Resultados

O caso clínico apresentado preenche as características diagnósticas estabelecidas pelo CDC até o momento. A fisiopatologia desta síndrome ainda é pouco conhecida, porém quando afeta adultos, têm maior prevalência em mulheres e tende a cursar com maior gravidade. A pequena quantidade de relatos a respeito da doença torna mais difícil o diagnóstico e, portanto, sua condução adequada, como visto no caso referido, no qual a demora diagnóstica correta retardou o tratamento.

Conclusões/Considerações Finais

A existência de mais relatos de caso e difusão do conhecimento na comunidade médica da MIS-A poderá ajudar no diagnóstico, auxiliando no tratamento adequado para esta síndrome de importante gravidade, a fim de evitar um desfecho desfavorável.

Palavras Chave

MIS-A; Covid19; Síndrome Inflamatória Multissistêmica associada ao Covid-19 em Adultos

Área

Clínica Médica

Autores

BRUNA FRANCISCHINI, BIANCA RUIZ LIMA, MARIA AUGUSTA CARVALHO CARNELOSSI, ANA LAURA SILVA CARDIN