16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Síndrome de Fournier em pacientes diabéticos: Relato de Caso

Fundamentação/Introdução

​A fasceíte necrótica perineal (Síndrome de Fournier) conhecida também como Síndrome de Mellené, consiste numa emergência urológica caracterizada por infecção necrosante progressiva da genitália externa ou períneo.Teve seu primeiro caso descrito em 1764; um processo necrotizante fatal, acometendo na sua maioria o público masculino.Tendo em 1884, pelo dermatologista francês Jean Alfred Fournier, um relato de caso de 5 pacientes com gangrena de escroto e pênis.A Síndrome de Fournier envolve região perineal e urogenital, atingindo o sistema tecidual na forma de fasceíte, celulite ou miosite, caracterizada por necrose, toxemia sistêmica e alta chance de mortalidade. Em pacientes do sexo masculino normalmente se iniciam com lesões em região escrotal peniana; em pacientes do sexo feminino, com lesões na virilha e vulva.É uma rara condição representada por 0,02% das hospitalizações, com incidência de 1,6 a cada cem mil homens.

Objetivos

Relatar um caso de Síndrome de Fournier de evolução clássica, e avaliar os fatores que aumentaram a possibilidade em desenvolver processo infeccioso, extensão da doença, complicações, assim como resposta terapêutica.

Delineamento e Métodos

Trata-se de um relato de caso, estudo observacional do tipo descritivo realizado em um hospital particular do município de São Jose dos Campos. A coleta dos dados foi obtida no prontuário do paciente.

Resultados

A fasceíte necrotizante é um severo tipo de necrose do tecido tissular infectado, que envolve a fáscia superficial e os tecidos subcutâneos. Acomete períneo e genitália; região perianal, podendo-se estender á parede abdominal, dorso, membros e retro peritônio.
Acometendo um número maior de pacientes homens; as infecções iniciais envolvem trato anorretal a 30-50%, urogenital de 20-40%, apenas a região genital em 20%.

Conclusões/Considerações Finais

O quadro clínico da Síndrome de Fournier varia dependendo do estágio da infecção, de comorbidades do paciente e do status de saúde que ele se encontra. No exame clínico pode-se ter uma gama de alterações locais bem como alterações sistêmicas. No caso relatado o paciente trazia história prévia de fissura anal, solucionada com tratamento pertinente; sem nova recidiva. Dentre os sinais locais, busca-se edema, dor, hiperemia, história de infecção local prévia. Dos sinais sistêmicos o paciente pode apresentar quadro de febre, letargia, mal estar, sinais de bacteremia, resultando em disfunção sistêmica tóxica e se não realizado medidas de controle e abordagem local, pode evoluir com disfunção sistêmica de órgãos.

Palavras Chave

Disfunção sistêmica de órgãos; Síndrome de Fournier; Fasceíte necrotizante; Diabetes Mellito.

Área

Clínica Médica

Instituições

Instituto Policlin de Ensino e Pesquisa - IPEP - São Paulo - Brasil

Autores

NATHALIA TROMBINI BELARMINO, BRUNA STECCA ZEQUE, NATHALIA MACHADO SOLDI