16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ESPOROTRICOSE DISSEMINADA COM APRESENTAÇÃO CLÍNICA EXUBERANTE: RELATO DE CASO.

Fundamentação/Introdução

A esporotricose é uma micose subaguda ou crônica causada, na maior parte dos casos, por implantação traumática do fungo do gênero Sporothrix na pele, sendo notória a transmissão zoonótica por mordedura, arranhadura ou contato direto com gatos infectados. A maioria dos casos envolve o acometimento cutâneo e linfático sendo rara a disseminação para outros órgãos e sistemas, manifestações mais frequentes em imunodeprimidos e mais associadas à hospitalização.

Objetivos

Descrever um caso de esporotricose humana disseminada em uma paciente com múltiplas comorbidades e ausência de imunossupressão que justifique tamanha exuberância clínica.

Delineamento e Métodos

Paciente feminina, 63 anos, procurou o serviço de dermatologia, referindo lesão ulcerada em quinto quirodáctilo esquerdo há 1 mês, progredindo com comprometimento do membro superior esquerdo. Relatava ter gato doméstico, desaparecido há dois meses. Hipertensa, diabética, obesa, dislipidêmica, portadora de hipotireoidismo e câncer de mama esquerda com quadrantectomia e esvaziamento axilar associado à radioterapia adjuvante. Ao exame físico, apresentava lesões vegetantes, exsudativas, pustulosas no membro superior esquerdo e no 5° quirodáctilo, poupando dorso, palma da mão e região deltoidea. Sorologias para HIV, HTLV, hepatites virais foram negativas. Colhido material para culturas fúngicas e bacterianas, positivas para S. schenckii e Klebsiella sp., respectivamente. Iniciou-se itraconazol 200 mg/dia, associado à antibioticoterapia venosa. Após ausência de resposta, aumentou-se a dose para 400 mg/dia do itraconazol. Ainda durante a internação hospitalar, paciente evoluiu com novas lesões para face, tronco, pés e região ocular a esquerda. Iniciado anfotericina B forma lipossomal que mostrou-se eficaz, porém após 700mg de dose acumulada desenvolveu-se toxicidade renal, sendo necessário interrupção da medicação. Tratamento de manutenção com terbinafina e itraconazol revelou-se eficiente, obtendo melhora das lesões.

Resultados

Não se aplica.

Conclusões/Considerações Finais

Tendo em vista a epidemia de esporotricose zoonótica que atravessa o Estado do Rio de Janeiro, coloca-se como prioritária a investigação de fatores envolvidos na dinâmica de transmissão da doença e a adoção de medidas de vigilância e de controle afim de conter o seu crescimento. Ao contrário do curso benigno em cerca de 95% dos casos desta micose, os quadros disseminados apresentam altas taxas de morbidade e mortalidade, o que torna vital o diagnóstico precoce e a adequada terapêutica.

Palavras Chave

Esporotricose. Anfotericina B lipossomal. Sporothrix. Gatos.

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital Escola Álvaro Alvim - Rio de Janeiro - Brasil

Autores

LORENA DE FREITAS BARROS, LARISSA LONGUI DIAS, ENÉAS VAN DER MAAS DO BEM FILHO, ANDRESSA DE DEUS MATEUS, LIANA MOURA DE ALMEIDA