16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

SÍNDROME DO TREFINADO: UM RELATO DE CASO NA NEUROTRAUMATOLOGIA

Fundamentação/Introdução

Síndrome do Trefinado (ST) é uma síndrome em que ocorre deterioração neurológica após a remoção de uma parte considerável do crânio. A ST é frequentemente não diagnosticada, e seus sintomas são melhorados após a cranioplastia. Conceitualmente, essa síndrome pode ser definida como a conversão de uma caixa fechada (closed box) para uma caixa aberta (open box).

Objetivos

Relatar um caso da neurotraumatologia de um adulto jovem, vítima de trauma automobilístico, submetido à craniectomia, seguido de complicações da ST.

Delineamento e Métodos

Paciente J.B.C, 26 anos, com sequela neurológica grave pós politrauma mais trauma cranioencefálico por queda de moto em dezembro de 2017, sendo na época submetido a craniectomia descompressiva e drenagem de hematoma subdural agudo traumático. Seguiu internado em tratamento clínico de pneumonia, monilíase e crises convulsivas, recebendo alta em junho de 2018. Teve avaliação da unidade de internação de neurologia clínica em fevereiro de 2018, sendo sugerido o tratamento de hidrocefalia secundária ao trauma cranioencefálico. Foi realizado derivação ventriculoperitoneal (DVP) em setembro de 2018, com boa evolução clínica do paciente no pós-operatório e sem sinais de fraturas no percurso da DVP. Paciente apresentou sequelas neurológicas tais como anisocoria e tetraparesia. O mesmo realizou uma tomografia de crânio sem contraste que demonstrou uma herniação do conteúdo cerebral para à direita. Paciente segue estável do ponto de vista da sequela neurológica, apresentando depressão importante em área de craniectomia. Sem outras queixas. Respirando espontaneamente em ar ambiente por traqueostomia em oxigenioterapia.

Resultados

.

Conclusões/Considerações Finais

A compreensão aprofundada da síndrome do trefinado se constitui relevante, uma vez que é uma das temíveis complicações da craniectomia descompressiva. Portanto, optar por tratamento que tenha resultado imediato na diminuição dos efeitos pressóricos externos, como a cranioplastia, e que mostre resultados positivos que auxiliam na recuperação dos danos neurológicos é uma forma de melhorar a qualidade de vida e sobrevida do paciente, diminuindo as chances de complicações devido à craniectomia descompressiva.

Palavras Chave

Neurologia. Trauma. Medicina.

Área

Clínica Médica

Autores

RAFAEL DE OLIVEIRA ARAUJO, WYNNI GABRIELLY PEREIRA DE OLIVEIRA, ANA VITORIA FIGUEIRA FAGUNDES GONÇALVES, LEONARDO PEREIRA DO NASCIMENTO SILVA, LEONARDO CORDEIRO NASCIMENTO