16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Paciente com quadro de retinite por citomegalovírus adquirido durante tratamento imunossupressor de púrpura trombocitopênica idiopática: Relato de caso

Fundamentação/Introdução

Púrpura trombocitopênica idiopática (PTI) é uma trombocitopenia adquirida causada por autoanticorpos contra antígenos plaquetários. É uma das causas mais comuns de trombocitopenia em adultos assintomáticos.
O Citomegalovírus (CMV) pertence à família do herpesviridae e estima-se que 50% a 80% dos adultos estejam infectados com o vírus. As infecções primárias em indivíduos imunocompetentes são geralmente assintomáticas. A imunossupressão prolongada pode levar à replicação descontrolada e ao aparecimento de doenças graves. A retinite é a manifestação mais comum da doença por CMV em pacientes imunossuprimidos.
O quadro clínico caracteriza-se por visão turva, diminuição da acuidade ou alterações de campo visual, podendo ocorrer descolamento de retina. A perda visual é progressiva, evoluindo até a completa amaurose do olho acometido.
O diagnóstico da retinite é clínico. A base do tratamento é o uso de inibidores da DNA polimerase viral potentes, como o Ganciclovir.

Objetivos

Descrever um caso de paciente com PTI em uso de corticoide e azatioprina que evoluiu com retinite por CMV em decorrência da imunossupressão.

Delineamento e Métodos

Relato de caso

Resultados

Paciente do sexo masculino, 57 anos. Em 2016 recebeu diagnóstico de PTI, iniciando tratamento com prednisona e em 2019 associado com azatioprina. Evoluiu com síndrome do olho vermelho, prurido e baixa acuidade visual em olho esquerdo. Buscou atendimento com oftamologista que identificou lesão compatível com Retinite por Citomegalovírus, sendo confirmado posteriormente com sorologia reagente. Foi internado em hospital para tratamento com Ganciclovir intravenoso. Foi suspenso o uso de corticoide e azatioprina, sendo introduzido tratamento com agonista de receptor da trombopoetina. Paciente finalizou internação com acompanhamento da oftalmologia e hematologia, evoluiu com melhora progressiva da acuidade visual.

Conclusões/Considerações Finais

Embora a literatura seja escassa, aparentemente o uso de imunossupressores podem ser um fator de risco para retinite por CMV. É de grande importância relatar a existência desta grave e rara complicação clínica, principalmente no meio médico, visto que o uso de corticoide em longo prazo é uma prática rotineira. E, se o diagnóstico e o tratamento não forem realizados precocemente, as consequências da doença podem-se tornar irreversíveis

Palavras Chave

Púrpura tombocitopênica idiopática, imunossupressão, retinite por Citomegalovírus.

Área

Clínica Médica

Autores

RUAN SEGUIN AZEVEDO QUARESMA, BIANCA MIRANDA GOUVEIA, GABRIELA ANDRELO LIMA ROCHA, MARCIO FELIPE DO NASCIMENTO RAMOS, THAÍS MARTINS NOVAES