16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Tuberculose pulmonar e mengoencefálica em paciente imunocompetente: relato de caso

Fundamentação/Introdução

INTRODUÇÃO: A tuberculose (TB) pode complicar com o envolvimento do sistema nervoso central (SNC) em até 5% dos casos e possui como fator de risco a presença de imunossupressão e coinfecção pelo HIV. A infecção no SNC pode se manifestar como tuberculoma, aracnoidite espinhal e/ou meningite tuberculosa (MT). Essa última decorre, em sua maioria, da disseminação hemática de focos do bacilo localizados em outros sítios do organismo. O quadro clínico é insidioso marcado por febre, cefaleia, vômitos e rigidez nucal. Seu diagnóstico é presuntivo, feito pela clínica e epidemiologia associadas a achados típicos no LCR (claro, límpido, pleocitose de 300 a 500 cel/ml, predomínio de mononucleares, glicorrafia baixa) devido a baixa sensibilidade e especificidade de testes diagnósticos específicos como a PCR no líquor para o Mycobacterium tuberculosis. Exames de imagem são uteis para avaliar complicações como déficits focais e sinais indiretos de aumento da pressão intracraniana. O tratamento envolve terapia antituberculosa e, em alguns casos, neurocirurgia.

Objetivos

OBJETIVOS: Ressaltar a importância de se considerar a neurotuberculose como diagnóstico diferencial em meningoencefalites e a necessidade de tratamento precoce como modificador do prognóstico em pacientes imunocompetentes.

Delineamento e Métodos

DESCRIÇÃO DO CASO: C.B., masculino, 47 anos, sem comorbidades, encaminhado ao pronto socorro com relato de adinamia, febre e rebaixamento do nível de consciência com 2 semanas de evolução. Admitido irresponsivo, sendo procedido com intubação orotraqueal. Tomografia de crânio com sinais de hidrocefalia, apagamento de sulcos e hipodensidades difusas enquanto em exame torácico com opacidades com padrão de árvore em brotamento, cavitações e consolidações. Aventada hipótese diagnóstica de TB pulmonar e meningoencefálica.

Resultados

Padrão LCR: 42 leucócitos, com 76% de linfomononucleares e 24% de polimorfonucleares, 0 hemácias, 33 glicose, 171 proteína, 96 LDH, com VDRL e látex negativos. Sorologias fúngicas e para HIV também negativas. Tratado inicialmente com ceftriaxona, terapia antituberculosa, anfotericina e aciclovir. Após análise do padrão liquórico e Genexpert positivo para M. tuberculosis, mantido com esquema para neurotuberculose. Durante internação manteve-se comatoso após 13 dias de tratamento, traqueostomizado, falecendo na internação.

Conclusões/Considerações Finais

CONCLUSÃO: A MT é uma manifestação infrequente em imunocompetentes cujos sintomas insidiosos podem contribuir para o diagnóstico tardio e sequelas neurológicas permanentes.

Palavras Chave

Palavras chave: Tuberculose, tuberculose meníngea, tuberculose do sistema nervoso central, sistema imunológico, mycobacterium tuberculosis.

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian (HRMS) - Mato Grosso do Sul - Brasil

Autores

LETICIA HENN CHICOL, ANA CARULINA GUIMARAES BELCHIOR, WISLLER ALFREDO MONTEIRO MARIANO, RAYSSA CAROLINE MARTINS DA SILVA KAPTEINAT, JOSE ORESTES OLIVEIRA DE AVILA