16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

DIVERTÍCULO DE DUODENO E ABDOME AGUDO PERFURATIVO EM PACIENTE GRAVE: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

Divertículos são alterações do trato gastrointestinal mais comuns no intestino grosso e geralmente assintomáticos. Duodeno é o segundo local de maior frequência, habitualmente um achado de imagem ou necropsia, sendo que complicações, sobretudo perfuração, são raras, de difícil diagnóstico e de significativa gravidade.

Objetivos

Relatar caso raro de divertículo duodenal sendo causa de abdome agudo perfurativo em paciente crítico.

Delineamento e Métodos

Descrição do caso: Paciente feminino, 69 anos, em tratamento para esquizofrenia e totalmente dependente de cuidados. Admitida por agudização da doença psiquiátrica com predomínio de sintomas catatônicos, desenvolveu, durante a internação, infecção do trato urinário e indicação de antibioticoterapia. Não obstante, evoluiu com quadro séptico e, apesar da ampliação do espectro de antibiótico, seguiu com piora clínica e instabilidade cardiorrespiratória, procedendo com intubação orotraqueal. Devido à via aérea difícil, foram necessárias duas tentativas de intubação, sendo uma esofágica, além de ventilação por dispositivo bolsa-válvula-máscara para resgate. Em radiografia seguinte ao procedimento foi evidenciado pneumoperitônio. Paciente foi submetida à cirurgia de emergência em que se identificou divertículo duodenal perfurado, confirmado por anatomopatológico, como causa do pneumoperitônio e deterioração do quadro. Após, conduzida à UTI, evoluindo a óbito poucas horas depois.

Resultados

.

Conclusões/Considerações Finais

Divertículos são mais prevalentes em idosos, sedentários e naqueles com dieta pobre em fibras e com constipação. Quadros críticos como a sepse e a hipotensão podem favorecer isquemia intestinal e, por sua vez, levar à necrose de uma parede já fragilizada pela formação de divertículos sendo, assim, causa importante da perfuração dos mesmos e posterior agravamento do quadro. Porém, outro fator que poderia estar relacionado à perfuração é a pressão positiva causada no trato gastrointestinal durante a falha de intubação, uma hipótese aventada nesta circunstância, visto existirem relatos na literatura que apontam intubação esofágica e ventilação com pressão positiva como causas para perfurações gastrointestinais, sobretudo distensão e perfuração gástrica. Este caso é notável, portanto, ao revelar uma patologia rara em um contexto complexo, desde a esquizofrenia até a sepse, de uma paciente crítica.

Palavras Chave

Duodeno; Divertículo; Abdome agudo; Perfuração intestinal; Sepse.

Área

Clínica Médica

Instituições

FAMEMA - São Paulo - Brasil

Autores

BRENDA BARZOTTO ARNOLD, ANGELA KYONG JIN KWAK, TUFFI ZINA NETO, LUIZ ALVES BARRETO PEREIRA, GUILHERME COSTA MUNHOZ