16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Hemorragia alveolar como complicação grave de COVID-19 em uma paciente com Lúpus Eritematoso Sistêmico

Fundamentação/Introdução

Hemorragia alveolar (HA) é uma complicação incomum, porém grave, do lúpus eritematoso sistêmico (LES). Tem alta mortalidade (em média 50%) e é fortemente associada a nefrite. Os mecanismos prováveis são capilarite e apoptose da membrana basal induzidas por imunocomplexos. Apresenta-se tipicamente com dispneia e hipoxemia. Exames de imagem do tórax podem ser normais ou ter discretos infiltrados difusos. Alterações atípicas incluem consolidações e opacidade em vidro fosco. O tratamento deve ser imunossupressão imediata. A imunoglobulina endovenosa (IGEV) é opção terapêutica em pacientes com infecção associada.

Objetivos

Descrever o caso de paciente lúpica internada por COVID-19 com evolução para hemorragia alveolar devido atividade de doença associada à infecção, com desfecho desfavorável.

Delineamento e Métodos

Paciente feminina, 27 anos, com LES e nefrite classe IV há 5 anos em uso de micofenolato sódico 2.500 mg/dia, prednisona 10 mg/dia e losartana 100 mg/dia, suspensas desde início da infecção por SARS-COV-2 confirmada. Tomografia (TC) de tórax do décimo dia de sintomas de COVID-19 evidenciava acometimento de menos de 25% do parênquima pulmonar. No vigésimo dia, foi admitida em pronto-socorro com dispneia, dor torácica e escarro hemoptoico. Diante da piora clínica e suspeita de tromboembolismo pulmonar, foi realizada angioTC de tórax que excluiu trombos e mostrou comprometimento pulmonar de 50 a 70%. Recebeu tratamento de suporte, antibioticoterapia empírica e corticoide oral, sem melhora. Evoluiu com injúria renal aguda, anasarca e queda de hemoglobina. Em exames laboratoriais apresentava leucocitose com desvio à esquerda, leucocitúria, hematúria e proteinúria de 2 g/dia, associados a hipocomplementemia, coombs direto positivo e discreta reticulocitose. Foi aventada hipótese de hemólise autoimune e nefrite. Optou-se por escalonar antibiótico e iniciar pulsoterapia com corticoide endovenoso. No terceiro dia, apresentou hemoptise maciça e insuficiência respiratória grave, com necessidade de intubação orotraqueal. Recebeu IGEV durante 05 dias com controle do sangramento. Após 20 dias de ventilação mecânica e múltiplas complicações, evoluiu com choque refratário e óbito.

Resultados

.

Conclusões/Considerações Finais

no contexto atual de pandemia por COVID-19, outras doenças pulmonares agudas podem ser negligenciadas. A HA é uma grave complicação do LES e deve ser suspeitada e prontamente tratada no contexto de atividade de doença com piora respiratória evidente associada a anemia.

Palavras Chave

lúpus eritematoso sistêmico; hemorragia alveolar; COVID-19

Área

Clínica Médica

Instituições

Hospital Regional da Asa Norte - Distrito Federal - Brasil

Autores

MARIANA CARVALHO GOMES, GABRIEL XAVIER RAMALHO, MAIRA ROCHA MACHADO DE CARVALHO, TAMIRIS ALVES MENEZES BERNARDES