16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ANALISE DOS FATORES PROGNOSTICOS DE 1146 PACIENTES COM MELANOMA CUTANEO ATENDIDOS EM UM CENTRO DE REFERENCIA EM ONCOLOGIA NO SUL DO BRASIL.

Fundamentação/Introdução

O melanoma é a neoplasia cutânea com maior mortalidade, apesar de não ser a forma mais frequente. Diferentes fatores de risco foram identificados para o desenvolvimento desse câncer, sendo os mais importantes a exposição solar e características fenotípicas tegumentares do indivíduo; o que provavelmente explica a alta taxa de incidência dessa doença nos estados do Sul, quando comparados com outros locais do Brasil.

Objetivos

Analisar os fatores prognósticos relacionados ao melanoma cutâneo de pacientes atendidos em um centro de referência em oncologia.

Delineamento e Métodos

Realizou-se um estudo observacional, descritivo e transversal com dados clínicos e anatomopatológicos de pacientes com melanoma cutâneo, atendidos no serviço público de referência em oncologia no Oeste de Santa Catarina, incluindo o período de janeiro de 2002 a dezembro de 2016. As variáveis analisadas foram: sexo, idade, localização da lesão primária, variáveis histológicas da lesão primária e o estágio da doença no momento do diagnóstico. Para análise estatística foi utilizado a Regressão de Cox por meio do programa Statistical Packet for Social Sciences (SPSS), versão 20.0. Os achados foram considerados significativos se o p resultou em valores < 0,05. A coleta de dados foi realizada conforme preceitos éticos e aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisas do local (parecer n° 60868716.0.0000.0116).

Resultados

Foram analisados dados de 1146 pacientes; a idade variou de 14 a 95 anos, com média de 52 anos para ambos os sexos. A partir de análise bivariada, as variáveis clínicas e anatomopatológicas relevantes associadas ao pior prognóstico de melanoma cutâneo foram sexo masculino, tipos histológicos não expansivo superficial (MES) e estágios da doença III ou IV. O sexo masculino apresentou pior prognóstico, quando comparado ao sexo feminino (risco relativo=1,2; IC95%=1,0-1,43; p=0,04). Os tipos histológicos acral lentiginoso, lentigo maligno e nodular, agrupados em um único grupo, apresentaram pior prognóstico do que o tipo histológico MES (risco relativo=1,19; IC95%=0,99-1,42; p=0,05). Por fim, os pacientes com estágios III e IV, quando comparados a pacientes com melanoma em estágio I e II, apresentaram pior prognóstico (risco relativo=1,48; IC95%=1,2-1,82; p<0,01).

Conclusões/Considerações finais

Os fatores prognósticos relacionados ao pior prognóstico foram sexo masculino, tipo histológico (acral lentiginoso, lentigo maligno e nodular) e estágios III e IV da doença, no momento do diagnóstico.

Palavras Chave

Melanoma; Neoplasias cutâneas; Câncer de pele; Fatores de risco.

Área

Clínica Médica

Autores

GILNEI FITLER SOARES, MARCELO MORENO