16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

TUMOR NEUROENDÓCRINO DE APÊNDICE CECAL, UM INCIDENTALOMA: RELATO DE CASO

Fundamentação/Introdução

Tumores de apêndice são raros e de apresentação clínica inespecífica. Já os tumores neuroendócrinos de apêndice (ENETs), apesar da baixíssima incidência, constituem as neoplasias mais comuns de apêndice. O quadro clínico dos ENETs mostra-se idêntico ou muito semelhante ao de apendicite aguda em mais da metade dos casos.
A maior parte dos diagnósticos de ENETs se dá por meio de um incidentaloma no exame anatômico e histopatológico do órgão após apendicectomia por apendicite aguda. O ENET possui excelente prognóstico se comparado aos outros tipos de tumor do apêndice. Estudos observacionais indicam uma evolução indolente na história natural dessa neoplasia, com baixas taxas de progressão para doença extensa. Nesse cenário, questiona-se a necessidade de investigações de doença residual, bem como da duração e intensidade do acompanhamento pós diagnóstico e tratamento.
As diretrizes atuais sugerem que a apendicectomia é a abordagem de escolha do ENET quando menor do que 1 cm e que a hemicolectomia se faz necessária para tumores maiores do que 2 cm.

Objetivos

Descrever um incidentaloma raro de tumor neuroendócrino de apêndice cecal a partir de um quadro clínico sugestivo de apendicite aguda, correlacionando os achados e a conduta adotada com a evolução e desfecho do caso.

Delineamento e Métodos

Informações obtidas por meio de avaliação do prontuário médico do paciente e entrevista minuciosa com o mesmo, em conjunto à revisão da literatura atual.

Resultados

Paciente masculino de 43 anos, natural e procedente de Farroupilha - Rio Grande do Sul. Procurou atendimento médico após episódio de intensa dor abdominal generalizada e contínua, que progrediu para uma dor localizada em fossa ilíaca direita. Foi submetido à tomografia computadorizada que evidenciou sinais de apendicite não complicada. Após a abordagem cirúrgica, o estudo anatomopatológico revelou um tumor neuroendócrino bem diferenciado do apêndice cecal. A avaliação imunoistoquímica apoiou o diagnóstico e então foi iniciado o acompanhamento oncológico periódico.

Conclusões/Considerações Finais

Ainda há um longo caminho a ser percorrido no que tange o diagnóstico dos ENETs, tendo em vista que na maioria das vezes ele acontece como incidentaloma. Além disso, essa doença tem um difícil diagnóstico diferencial com apendicite aguda. A raridade da neoplasia e a escassez de critérios clínicos característicos dos ENETs dificultam a realização do diagnóstico precoce. Contudo, ainda assim a abordagem usual de apendicectomia se mostra suficiente e adequada na resolução da maioria dos casos.

Palavras Chave

tumor neuroendócrino de apêndice cecal; neoplasia; apendicite; incidentaloma

Área

Clínica Médica

Autores

MARCELA GOMES DE CARVALHO MAYEIRO, GEORGIA BARCIA BORRÉ, LARISSA CRISTINA MACHADO DE FREITAS CASTRO, JOÃO PEDRO ASSAD, CARLA ROSANA GUILHERME SILVA