16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Peritonite encapsulante (PE) associada à tuberculose peritoneal em paciente com linfoma Hodgkin: relato de caso

Fundamentação/Introdução

O peritônio é o sexto sítio mais acometido dentre as tuberculoses extrapulmonares, representa 0,1 a 0,7% dos casos e ocorre por disseminação linfo-hematogênica do Mycobacterium tuberculosis. A peritonite de etiologia tuberculosa constitui um quadro de difícil diagnóstico, pois além de ser rara, apresenta manifestações clínicas inespecíficas derivadas de um processo inflamatório crônico, mimetizando outras doenças abdominais.

Objetivos

Alertar a comunidade médica sobre a possibilidade diagnóstica de PE secundária à tuberculose peritoneal em pacientes com doenças onco-hematológicas.

Delineamento e Métodos

Relato De Caso

Resultados

Paciente de 48 anos de idade, gênero masculino, portador de linfoma Hodgkin - celularidade mista, diagnosticado por biópsia de linfonodo cervical em outubro de 2020. Durante tratamento quimioterápico ambulatorial com o protocolo ABVD (Adriamicina, Bleomicina, Vimblastina e Darcabazina) apresentou episódios de dor abdominal cuja investigação por ultrassom demonstrou colelitíase sem sinais de colecistite ou colestase. O plano quimioterápico foi suspenso após cinco ciclos em decorrência de febre, vômitos, acolia fecal, colúria, emagrecimento, distensão e dor abdominal. A hipótese diagnóstica foi de coledocolitíase, entretanto a tomografia abdominal evidenciou ascite, espessamento da vesícula biliar sem cálculos em colédoco e ausência de linfonodos aumentados em tamanho ou número. Diante dos achados, optou-se por tratamento conservador (sintomáticos e antimicrobianos); após melhora clínica inicial apresentou novos episódios de vômitos e dor abdominal de forte intensidade. A laparotomia exploradora evidenciou peritônio espessado, presença de processo inflamatório disseminado, alças intestinais encapsuladas e aderidas; procederam-se colecistectomia e biópsias peritoneais. O paciente evoluiu com quadro séptico e falência de múltiplos órgãos. As pesquisas de granulomas e presença de bacilos álcool-ácido resistentes (bacilo de Koch) foram positivas nas amostras de tecido peritoneal estabelecendo o diagnóstico post mortem de PE secundária à tuberculose peritoneal.

Conclusões/Considerações Finais

O desfecho clínico do presente caso reforça a importância de discutir-se a tuberculose peritoneal como diagnóstico diferencial em pacientes com doenças onco-hematológicas ou imunossuprimidos que apresentam comprometimento sistêmico acompanhado de dor abdominal ou ascite.

Palavras Chave

Linfoma Hodgkin, colelitíase, tuberculose peritoneal, peritonite encapsulada

Área

Clínica Médica

Instituições

Obra de Ação Social Hospital PIOXII de São José Dos Campos. Residência de Clínica Médica e Serviço de Onco-hematologia. - São Paulo - Brasil

Autores

PAMELA GONÇALVES FERREIRA, GRAZIELA JANJACOMO DE ALCÂNTARA MOREIRA, CAROLINA DE OLIVEIRA BARBOSA DA ROSA