16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

EFETIVIDADE DA CORTICOTERAPIA NO TRATAMENTO DE PACIENTES COM COVID-19

Fundamentação/Introdução

A doença do coronavirus (COVID-19) é uma infecção que foi detectada inicialmente em Wuhan, China. Diversas pesquisas foram realizadas a respeito da corticoterapia no tratamento da COVID-19 e sua relação com a mortalidade hospitalar, porém ainda suscita discussões.

Objetivos

Descrever o perfil clínico e mortalidade de pacientes internados com COVID-19 com o uso de corticoides.

Delineamento e Métodos

Realizou-se trabalho retrospectivo, quantitativo, observacional através de consulta de prontuário em Hospital Federal. Foram incluídos 125 pacientes, maiores de 18 anos, sem limite superior de idade, com quadro clínico compatível com COVID-19 e confirmação diagnóstica através da reação em cadeia de polimerase em tempo real, internados no período de 13 de abril a 31 de maio de 2020, que utilizaram ou não terapia com corticoide. Foram excluídos pacientes que internaram por outro motivo, ou com diagnóstico de doenças incuráveis em processo de finitude e em tratamento paliativo.
A chance de óbito foi estimada através do modelo de regressão logística múltipla, considerando como variáveis explanatórias sexo, idade e o tratamento proposto. A variável independente foi o óbito. A análise da associação entre idade e o tempo de internação foi realizada através de regressão linear, tendo como medida de tamanho do efeito o odds ratio.

Resultados

A média de idade na amostra analisada foi de 61,52 anos ± 15,4 anos, com idade mínima de 20 anos e máxima de 93 anos. Houve predomínio do sexo masculino (56,8%), 57,6% dos pacientes tinham o diagnóstico de hipertensão arterial sistêmica. Do total, 57% dos pacientes foram tratados com algum tipo de corticoide. O uso de corticoide representou chance 1,78 vezes maior de óbito na amostra. Foram administradas maiores doses de corticoide em idosos (>60 anos). Neste grupo, a probabilidade de morte foi 88,5% no caso das mulheres e 98,8% no caso dos homens.

Conclusões/Considerações finais

Foram apresentadas evidências que indicam o perfil clínico do paciente internado com COVID-19 sendo do sexo masculino, com idade avançada e comorbidades, mais comumente hipertensão arterial sistêmica. Maiores doses de corticoide foram administradas nos idosos, o que foi acompanhada de maior chance de óbito.
Como foi calculado na regressão logística múltipla, a prescrição de corticoide comportou-se como um fator protetor, apesar de não ter havido significância estatística nesta amostra.

Palavras Chave

Descritores: coronavirus disease, corticotherapy, hospital mortality

Área

Clínica Médica

Autores

GIULIANO POSSAMAI DUTRA, ROBERTO CARLOS LYRA DA SILVA, AMANDA CÔRTES BRANDÃO DOS SANTOS