16º Congresso Brasileiro de Clínica Médica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

ISOLAMENTO SOCIAL, ENSINO A DISTANCIA E SEUS IMPACTOS NO ESTUDANTE UNIVERSITARIO DA AREA DA SAUDE DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19

Fundamentação/Introdução

O atual cenário pandêmico mundial, juntamente a adesão do isolamento social, deflagraram repentinas mudanças no cotidiano, no psicológico e na vida social da população em geral.

Objetivos

Visto isso, o presente estudo objetivou avaliar a situação psicológica dos universitários da área da saúde do Brasil nesse período, bem como o isolamento social e uso do método de ensino a distância (EAD), correlacionando área de atuação e maior impacto no contexto biopsicossocial estudantil.

Delineamento e Métodos

Trata-se de um estudo qualitativo descritivo, aplicado através de meio digital (plataforma "Google Forms"), no qual foi abordado principalmente questões de cunho social, emocional e psicológico. O questionário, foi disponibilizado aos alunos a partir de redes sociais, acompanhado do termo de consentimento livre e esclarecido.

Resultados

305 formulários foram preenchidos por estudantes da área da saúde de todo o Brasil, sendo 67,5% (206) destes da região Sudeste.
Observou-se ainda, uma maior participação de mulheres, representada por 81,3% (248) dos voluntários, 61,3% (187) se autodeclaram brancos e com média de idade entre 18 a 23 anos, totalizando 177 respostas (58%). Destes,77,04% se declararam do curso de medicina. Foi relatado que 96,72% dos participantes estavam com aulas no método de ensino a distância (EAD), 79% se sentiram prejudicados de alguma forma com relação a nova rotina de estudo e 24,59% afirmaram terem sido 100% prejudicados. Quando relatado alteração no aspecto emocional, as queixas mais comuns foram relacionadas a ansiedade, medo, raiva, angústia e tristeza.

Conclusões/Considerações finais

A prevalência de sintomas depreciativos foi maior observada em estudantes da medicina, sendo possível observar que a escola médica e suas exigências são fatores precipitantes para o surgimento dos sintomas depressivos relatados pelos voluntários. Não foi encontrada relação entre renda, sexo ou semestre perante esses resultados, no entanto, a adesão ao isolamento social foi correlacionada aos sintomas de tom negativo.

Palavras Chave

Estudantes Universitários; Isolamento social; Depressão

Área

Clínica Médica

Autores

BRUNA PETRAROLI BARRETTO